Como fazer extratos glicólicos de plantas

Autor(a):

Como fazer fazer extratos glicólicos. Os extratos glicólicos de plantas são componentes utilizados na fabricação de produtos cosméticos, como sabonetes líquidos, sabonetes em barra, shampoos, cremes, loções cremosas e banhos de espuma. Os extratos glicólicos de plantas podem ter varias propriedades dependendo da planta utilizada, como adstringente, emoliente, cicatrizante, tonificante, anti-inflamatória, suavizante, refrescante, hidratante, etc. Podem ser obtidos pelo processo de maceração, infusão ou percolação da erva em um solvente hidroglicólico.

Curso de Tintas, Textura e Grafiato. Aprenda a fazer materiais de construção. Clique e acesse o curso!

Os extratos glicólicos de plantas são componentes muito utilizados em sabonetes sólidos em barra, sabonetes líquidos e produtos para o banho. Geralmente, a proporção entre a erva e solvente (veiculo extrator) corresponde a 1/5 do seu peso em erva seca.

Como fazer extratos glicólicos

Sendo assim, 200 gramas de erva seca nos permite preparar 1000 gramas de extrato glicólico. Dai a necessidade de verificar se compensa preparar o seu próprio ou comprar o produto pronto já disponível no comercio de extratos glicólicos. Temos que ver se o custo beneficio compensa, calcular o valor da planta utilizada + o valor do veiculo extrator + o tempo gasto na preparação do produto. Talvez o produto pronto compensa mais do que fazer o extrato, além de ganhar tempo e não ter trabalho na preparação.

Devemos atentar também para não utilizar qualquer planta, mas usar somente plantas conhecidas e estudadas por especialistas, para não extrair substancias toxicas e que podem trazer perigo para a saúde.

Exemplo de como fazer extratos glicólicos: Fazer um de erva doce

  1. Utilizar sementes de erva doce desidratadas a uma temperatura entre 25 a 40°C.
  2. Esmagar 200 gramas das sementes de erva doce desidratadas ou triturá-las no liquidificar até que fique um pó.
  3. Em um recipiente misture 900 ml de glicerina e 100 ml de álcool de cereais.
  4. Em um frasco de vidro âmbar (escuro) ou recoberto por papel alumínio despeje as sementes de erva doce trituradas e depois despeje a mistura de Glicerina com álcool de cereais preparada no item 3.
  5. Fechar o frasco de vidro âmbar e deixar em repouso por 3 dias (72 horas), fora do alcance de luz e calor.
  6. Em seguida, após o tempo de repouso de 3 dias, despejar o conteúdo do frasco (liquido e as sementes em pó) em um recipiente, que pode ser uma panela e deixar em banho-maria a uma temperatura de aproximadamente 40°C pelo tempo de 1 hora.
  7. Depois filtrar todo o conteúdo, passando por um filtro novo e limpo (filtro de papel ou de algodão utilizados para fazer café).
  8. Guardar então o liquido (extrato obtido) em um frasco âmbar (escuro) e tampado, em local apropriado fora do alcance da luz e do calor.

O que é banho-maria

Modo de aquecer em que o recipiente é colocado dentro de outro recipiente com água aquecida.

Casa do saboeiro

O processo acima pode ser usado para extrair extrato de todas as plantas conhecidas. Quando o extrato a ser obtido for de frutas ou legumes suculentos (que tem muito suco) temos que triturar primeiro no liquidificador e depois coar para a separação da parte solida. Então, com a parte solida obtida se faz a preparação do extrato.

Já com as frutas pastosas e consistentes, se faz o extrato diretamente com a fruta, passando a fruta a ser utilizada no liquidificador. Exemplo de fruta pastosa: Banana e abacate.

Caso você deseje preparar o seu extrato, sempre use plantas conhecidas. Procure ler bibliografias especializadas para saber quais as partes das plantas que podem ser utilizadas e quais as suas aplicações na cosmética. Há plantas que são conhecidas em uma determinada região pelo nome de outra. Certifique-se sempre de estar usando a planta certa e no caso de duvida, utilize o extrato já pronto disponível no comercio, evitando assim riscos. 

Só Kits. Kits prontos para fazer cosméticos e produtos de limpeza. Clique e acesse a loja!

Abaixo uma lista de plantas e das partes utilizadas para fazer extrato glicólico

  • Abacate: Folhas secas, caroço seco e frutos.
  • Abacaxi: Folhas secas, fruto e casca.
  • Açaí: Frutos
  • Acerola: Frutos
  • Alface: Folhas frescas, talos e leite.
  • Alecrim: Folhas e ramos secos.
  • Arnica: Folhas e flores secas.
  • Aveia: Folhas e sementes secas.
  • Babosa: Seiva e polpa das folhas.
  • Barbatimão: Folhas secas e casca da arvore.
  • Bardana: Folhas frescas e flores secas.
  • Calêndula: Folhas, flores e caule, todos secos.
  • Camomila: Flores secas.
  • Cavalinha: Parte aérea seca.
  • Chá verde: Folhas secas.
  • Hamamelis: Folhas e a casca do caule seco.
  • Hera: Folhas secas.
  • Jaborandi: Folhas secas.
  • Pepino: Frutos frescos.
  • Quina vermelha: Cascas do caule.
  • Salvia: Folhas secas.

Os extratos glicólicos geralmente são adicionados nas formulações cosméticas com temperaturas abaixo dos 45°C, quando essas formulações cosméticas necessitam de aquecimento durante o seu preparo.

Fonte: Projeto Gerart

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Catálogo de Formulações em PDF. Fórmulas para fazer essências. Aprenda a criar fragrâncias. Clique e acesse!